SEGUIDORES

10 de março de 2007

As cores todas

Já conheço o KoresdAfrika, o site, de cor e salteado. Estão lá as cores todas.

A Exposição do Jorge Miranda será, estou certo disso, uma revisitação às cores que nós tivemos o supremo privilégio de beber in loco:




"sente-se o vento que nos fustiga o rosto com picos de areia perfurantes.
apalpa-se a erosão no desgastar das rochas.

Estranhos relevos.
almofadas ondulantes de veludo ou esquinantes limas abrasivas,
contramaré na monotonia da planura infinda queimada pelo sol sedento.

A este não é premente fixá-lo olho a olho por perigo de cegueira,
basta admirar as novas cores os vermelhos os laranjas e os
dourados de aguarela nos morros calcinados pelo tempo.

Pegue-se uma moldura em madeira pintada a ouro
e coloque-se de encontro à paisagem:
da direita para a esquerda ou da esquerda para a direita, tanto faz,
uma pincelada de ocre abarca os dois terços superiores do quadro.
à direita baixa uma mancha vertical em azul-verde esmeralda.
à esquerda, partindo de baixo, quatro barras horizontais evoluem
do vermelho ao amarelo-alaranjado"


o Namibe
in o bico-de-lacre e o tarrote


Jorge Miranda no ArtAfrica
(busca por António Jorge Miranda)


admário costa lindo

2 comentários:

lena disse...

senti o vento e toquei em todas as cores

a saudade dói ainda


quis sentir a terra onde nasci


um abraço

beijinhos


lena

Ju disse...

Adorei!
Um abraço grande