SEGUIDORES

11 de Maio de 2006

As Valas e a Cólera

Situação epidemiológica da cólera preocupa Governo de Malanje

O governo da província de Malanje concluiu ser preocupante a situação epidemiológica da cólera, sobretudo das zonas rurais.
A apreciação saiu do comunicado final da primeira reunião ordinária do governo da província de Malanje do ano 2006, que visou a análise da actual situação sócio-económica da região.
De acordo com o porta-voz do encontro, Francisco Fidelíssimo Pedro, os participantes concluíram que o governo deverá prosseguir com os esforços para estancar, a breve trecho, o surto de cólera na província...
Jornal de Angola, 28.04.2006

Diagnosticado primeiro caso de cólera no Kuito

As autoridades sanitárias da província do Bié diagnosticaram quinta-feira, no hospital provincial do Kuito, o primeiro caso de cólera na região, sem causar morte, de acordo com o chefe de departamento provincial de Saúde Pública e Controlo de Endemias, José Augusto.
Segundo a fonte, o caso foi diagnosticado em uma criança de dez anos de idade, residente no bairro Maiaia, arredores da cidade do Kuito. Ela encontra-se fora de perigo, mas recebe assistência do corpo clínico local...
Jornal de Angola, 29.04.2006

Cólera …

O país foi assolado por mais uma epidemia, que teve como ponto de partida a cidade capital, que é Luanda. A imprensa não se cansa de acompanhar a situação, como manda a própria «filosofia» da informação. Do «problemático» bairro Boavista até a algumas províncias, a doença vai-se alastrando tímida e gradualmente, numa altura em que vão surgindo vozes a prometer calma e medidas de prevenção aos cidadãos...
Jornal de Angola, 2.05.2006

Registados seis mil casos de cólera em Benguela

Mais de seis mil casos de cólera, com cerca de 450 mortes, foram registados na província de Benguela, desde o surgimento da doença, de acordo com autoridades sanitárias locais.
A falta de colaboração da população, na observância de medidas preventivas, é uma das causas do alastramento da doença para outras localidades e do aumento do número de pessoas infectadas.
No município do Cubal, por exemplo, o difícil acesso de doentes com cólera, residentes nas comunas de Capupa, Yambala e Tumbulo, ao hospital municipal, está a obrigá-los a fazerem o uso de medicamentos tradicionais, provocando o alastramento da doença.
Nas referidas localidades, que também se debatem com a falta de transporte para a evacuação dos doentes, registaram-se, nos últimos dias, seis óbitos causados pela cólera.
Desde o surgimento do primeiro caso de cólera no Cubal, a 24 de Março, foram notificados 167 casos, com 20 mortes.
Jornal de Angola, 5.05.2006


Um dos focos de propagação desta epidemia será, certamente, a nova invenção de Luanda no que toca à higiene pública: as valas de recolha de lixo.

Leia e veja a reportagem fotográfica “As Valas de Luanda”, no EcoHaria
.

2 comentários:

joão francisco disse...

Pois é, amigo Ademário
Assim vai a nossa terra.
Enquanto isso, uns sacanas sem escrúpulos mantêm blogs racistas e xenófobos sem respeito por ninguém.´Merecem ser denunciados.
Aqui: http://kulatra.blogspot.com

paterhu disse...

...e se nao houver epidemia de colera?
...e se o que se esta a fazer for para sacar mais umas massas?
...e se compararmos as estatisticas e verificarmos que deixaram de morrer pessoas com diarreia?
...oficialmente ha colera!
...havera mesmo??